THICH NHAT HANH

Os Cinco Treinamentos da Plena Consciência

Primeiro Treinamento

Consciente do sofrimento causado pela destruição da vida, eu me comprometo a cultivar a solidariedade e a aprender maneiras de proteger a vida das pessoas, animais , plantas e minerais. Estou determinado a não matar, a não deixar que outros matem e a não tolerar qualquer ato de matança no mundo, no meu pensamento e no meio modo de vida.

Segundo Treinamento

Consciente do sofrimento causado pela exploração, pela injustiça social, pelo roubo e pela opressão, eu me comprometo a cultivar a bondade amorosa e a aprender maneiras de trabalhar pelo bem estar das pessoas, animais plantas e minerais. Praticarei a generosidade, compartilhando meu tempo, minha energia e meus recursos materiais com aqueles que realmente precisam. Estou determinado a não roubar e a não me apossar de nada que pertença, porventura, a outros. Respeitarei a propriedade alheia, mas impedirei que outros lucrem com o sofrimento humano ou com o sofrimento de outras espécies sobre a terra.

Terceiro Treinamento

Consciente do sofrimento causado pela má conduta sexual, eu me comprometo a cultivar a responsabilidade e a aprender maneiras de proteger a integridade dos indivíduos, dos casais, das famílias e da sociedade. Estou determinado a não me engajar em relações sexuais sem amor e sem compromisso duradouro. Para preservar a minha felicidade e a dos outros, estou determinado a respeitar os meus compromissos e os compromissos dos outros. Farei tudo o que estiver ao meu alcance para proteger as crianças do abuso sexual e para impedir que casais e famílias sejam desfeitos pela má conduta sexual.

Quarto Treinamento

Consciente do sofrimento causado pelas palavras descuidadas e pela incapacidade de ouvir os outros, eu me comprometo a cultivar a fala amável e a escuta profunda para levar alegria e felicidade aos outros e aliviá-los em seu sofrimento. Estou determinado a falar a verdade, com palavras que inspirem autoconfiança, alegria e esperança. Não divulgarei notícias que não tenham fundamento seguro e nem criticarei ou condenarei aquilo de que não tenha certeza. Evitarei pronunciar palavras que possam causar divisão ou discórdia, que possam desagregar a família ou a comunidade. Estou determinado a fazer todos os esforços possíveis para reconciliar e resolver todos os conflitos, por menores que sejam.

Quinto Treinamento

Consciente do sofrimento causado pelo consumo irresponsável, eu me comprometo a cultivar a boa saúde, tanto física quanto mental, para mim, minha família e minha sociedade, praticando a alimentação, a ingestão de líquidos e o consumo com plena consciência. Somente ingerirei ítens que preservem a paz, o bem estar e a alegria no meu corppo, na minha consciência e no corpo coletivo e na consciência da minha família e da minha sociedade. Estou determinado a não usar álcool, ou qualquer tóxico ou consumir alimentos ou outros ítens que contenham toxinas, como certos programas de TV, revistas, livros, filmes e conversas. Estou consciente de que prejudicar o meu corpo ou minha consciência com esses venenos é trair meus ancestrais, meus pais, minha sociedade e as gerações futuras. Trabalharei para transformar a violência, o medo, a ira e a confusão que existem dentro de mim e na sociedade, mediante uma dieta para mim mesmo e para a sociedade. Entendo que uma dieta apropriada seja crucial para auto-transformação e para a transformação da sociedade.

Os 14 Treinamentos da Plena Consciência

” I think we have a feeling of almost spiritual communion. And that feeling might be transient, but I think it’s what we live for. If we’re looking at the highlights of human development, you have to look at the evolution of the organism… and then at the development of its interaction with the environment. Evolution of the organism will begin with the evolution of life… perceived through the hominid… coming to the evolution of mankind. Neanderthal, Cro-Magnon man. Now, interestingly, what you’re looking at here are three strings: biological, anthropological– development of the cities, cultures– and cultural, which is human expression. Now, what you’ve seen here is the evolution of populations, not so much the evolution of individuals. And in addition, if you look at the time scales that’s involved here– two billion years for life, six million years for the hominid, years for mankind as we know it– you’re beginning to see the telescoping nature of the evolutionary paradigm. And then when you get to agricultural, when you get to scientific revolution and industrial revolution, you’re looking at years, years, years. You’re seeing a further telescoping of this evolutionary time. What that means is that as we go through the new evolution, it’s gonna telescope to the point we should be able to see it manifest itself… within our lifetime, within this generation. The new evolution stems from information, and it stems from two types of information: digital and analog. The digital is artificial intelligence. The analog results from molecular biology, the cloning of the organism. And you knit the two together with neurobiology. Before on the old evolutionary paradigm, one would die and the other would grow and dominate. But under the new paradigm, they would exist… as a mutually supportive, noncompetitive grouping. Okay, independent from the external. And what is interesting here is that evolution now becomes an individually centered process, emanating from the needs and the desires of the individual, and not an external process, a passive process… where the individual is just at the whim of the collective. So, you produce a neo-human with a new individuality and a new consciousness. But that’s only the beginning of the evolutionary cycle… because as the next cycle proceeds, the input is now this new intelligence. As intelligence piles on intelligence, as ability piles on ability, the speed changes. Until what? Until you reach a crescendo in a way… could be imagined as an enormous instantaneous fulfillment of human, human and neo-human potential. It could be something totally different. It could be the amplification of the individual, the multiplication of individual existences. Parallel existences now with the individual no longer restricted by time and space. And the manifestations of this neo-human-type evolution, manifestations could be dramatically counter-intuitive. That’s the interesting part. The old evolution is cold. It’s sterile. It’s efficient, okay? And its manifestations are those social adaptations. You’re talking about parasitism, dominance, morality, okay? Uh, war, predation, these would be subject to de-emphasis. These would be subject to de-evolution. The new evolutionary paradigm will give us the human traits of truth, of loyalty, of justice, of freedom. These will be the manifestations of the new evolution. That is what we would hope to see from this. That would be nice.”

from waking life

comentário de juliana mundim, habitante galáctico e sister forever, vira post.

juliana mundim em http://www.pocketfilmsfortravelers.com/

CLAUDIO PRADO

25/02/2009

simplesmente maravilhoso claudio prado:

Status Qua:::ntico

AUGUSTAS ENERGIAS UTÓPICAS

Vivemos momentos do Fogo Fênix. Fogo mágico, renovador da vida, das energias utópicas.

A Crise da especulação financeira, nada mais é do que uma das facetas da falência do paradigma econômico como bússola e parâmetro de avaliação do processo civilizatório.

O sumiço da grana das Bolsas de Valores pelo mundo afora nos obriga a refletir sobre quais são de fato os Valores que realmente importam para cada um de nós e para a humanidade.

Estamos vivendo um rito de passagem.

Fim do milênio.

Fim da Era de Peixes.

Fim do longo século 20, o século da industria, do consumo.

Fim da pré adolescência da humanidade.

Fim da Era da lógica cartesiana.

Fim da Era Econômica.

Começo da Era da Liberdade, Renascença do Ser Humano.

Começo da Era de Aquário, Era de horizontes infinitos.

Começo da Era Ecológica.

Começo da Era Quântica.

Começo da Era Cultural, a Era da Alegria, a Era da Felicidade

Estamos vivendo o rito de passagem.

Fim do Mundo para uns.

Esperanças infinitas para outros.

O rito de passagem é a Era Digital

Tudojuntoaomesmotempoagora do Caos Quântico atemporal

onde velocidade infinita é igual ao silêncio absoluto da paz.

 

Fulgurante despertar das tropicalistas e Augustas Energias Utópicas.

 

http://augustasenergiasutopicas.wordpress.com

Lifenaut

23/02/2009

Lifenaut, um projeto do Movimento Terasem.

Um breve exemplo dos novos tipos de pensamento que estão surgindo. Estranho, pra dizer o mínimo:

Terasem

A social movement devoted to diversity, unity and joyful immortality achieved through exponential growth of geo-ethical nanotechnology. Immortality is accomplished by creating consciousness in self-replicating machines that can be distributed throughout the cosmos. The machines use their exponentially growing knowledge and ethical nanotechnology to convert universal random mass and energy into ubiquitous intelligent mass and energy that, networked together, will be a force capable of controlling cosmic physics. Diversity, unity and joy are ensured through machine consciousness and universal adherence to the principles of Terasem. As the collective consciousness becomes increasingly omnipresent, omniscient and omnipotent it will realize the age-old vision of a benevolent God. Until the time of cosmic dispersion, Terasem functions as a trans-religion by educating the public on the practicality and necessity of diversity, unity and joyful immortality.  This mission is achieved via six activities: broadcasting the Truths of Terasemteaching geoethical nanotechnology, hosting problem-solving symposia, convening commemorative rituals, demonstrating human cryonics and building cyber-consciousness.

http://www.terasemweb.org/

A PERFEIÇÃO HUMANA DA CANOLA

Luiz Antônio Caldani
Engº Agrônomo

Extraído do site da Universidade Federal de Lavras – MG – (UFLA): 
http://www.posgraduacao.ufla.br/bet/module…amp;new_topic=2 

O que é canola, que, afinal, nem consta nas enciclopédias (Comptons e Encarta de 96)?

Vejam só: Canola é novo nome de um ‘tipo’ de Colza. Colza é uma planta da família das brássicas – Brassica campestris. Portanto a colza é um ‘tipo’ de mostarda que é a mesma planta utilizada para a produção do agente mostarda, gás letal usado de forma terrível nas Guerras Mundiais.

O óleo de colza é muito utilizado como substrato de óleos lubrificantes,
sabões e combustíveis, sendo considerado venenoso para coisas vivas: ótimo repelente (bem diluído) de pragas em jardins. Este poder tóxico é
proporcionado pela alta quantidade de ácido erúcico contido no óleo. O
óleo de colza tem sido usado de forma alimentar no Extremo Oriente, na
forma não refinada, e contrabalançada com uma dieta rica em gordura
saturada, o que evitaria seus graves efeitos tóxicos. No entanto, no ocidente, o objetivo era produzir um óleo com pouca gordura poliinsaturada, e boa quantia de ácido oléico e ômega-3. O óleo de oliva tem estes predicados, mas sua produção em larga escala é dispendiosa. Aí entram em cena empresas como a Monsanto, que produz uma variação transgênica da colza. Para evitar problemas de marketing, usa o nome CAN – OLA (Canadian low oil – ou óleo canadense).

Isto mesmo: CANOLA é absolutamente transgênica.

Sua comparação aos benefícios do óleo de oliva não passa de uma estratégia de venda: o óleo de oliva é bem mais caro, mas o de canola é mais caro do que os outros óleos, apesar de ser de produção baratíssima! Bom negócio, enfim. Bem, se você não queria usar transgênicos sem seu expresso consentimento, mas já usou o óleo de canola, talvez até aconselhado pelo seu cardiologista ou nutricionista, fazer o quê? Perdemos o direito desta opção quando nos foi retirada toda a informação. Mas se é tão bom assim como se diz, porque não informar tudo a respeito?

O óleo de canola está longe de ser tão salutar assim como se alardeia. Se
observarem bem, pode deixar um cheiro rançoso nas roupas, pois é
facilmente oxidado, e seu processo de refinamento produz as
famigeradas gorduras trans (igual problema das margarinas) relacionadas às graves doenças incluindo o câncer. Produz déficit de vitamina E que é um antioxidante natural. Observem que os alimentos feitos com canola
embolaram mais rapidamente.

As pequenas quantidades de ácido erúcico, que ainda persistem na planta
alterada (transgênica), continuam sendo tóxicas para o consumo humano, e esta ação tóxica é cumulativa. Existem relatos de inúmeras outras
enfermidades ligadas à ingestão e até mesmo a inspiração de vapores de
canola (possível vínculo com câncer de pulmão). A canola também ilustra o jeito de funcionar das megas empresas de biotecnologia.

Em abril de 2002, nos Estados Unidos, o CFS (Centro de Segurança
Alimentar) e o GEFA (Alerta de Alimentos Geneticamente Produzidos) pediram uma investigação criminal contra a Monsanto e a Aventis mais o
Departamento Americano de Agricultura, que haviam permitido o ingresso ilegal de sementes de colza modificada para dentro do território
americano antes da aprovação legal desta importação para produção local.

Aqui no Brasil e lá tudo funciona meio parecido. A própria
liberação da canola no território americano contou com estímulo de US$ 50 milhões do governo Canadense para que o FDA (órgão regulador)
facilitasse seu ingresso na indústria alimentar de lá, mesmo sem os
adequados estudos de segurança em humanos.

Enfim, novamente nos defrontamos com uma situação em que a mão do homem subverte o bom senso entre ciência e saúde, ao que parece porque os interesses econômicos são muito mais persuasivos que os interesses dos consumidores.

Mas o pior é que não podemos contar com os meios de informação que
sistematicamente informam o que interesses maiores julgam mais oportuno. A canola, podemos ter certeza, é uma fração pequena do mundo obscuro do capitalismo científico, que pesquisa fontes de enriquecimento muito mais entusiasticamente do que as verdadeiras fontes de saúde, vida e paz!

105.7 FM Livre Campinas-SP

Manifesto Rádio Muda   3 X 1   PF+Anatel

“Nao temos nada a perder. Temos tudo.”
Sun Tzu

Os Piratas nos atacaram.
Sequestraram nosso timoneiro DJ Computer.
Hoje, dia 19/02/2009, às 5 da manhã, doze Piratas Federais (PF)
saquearam todos os equipamentos do estúdio da Rádio Muda, rádio livre que
funciona há mais de 20 anos em Barão Geraldo, Campinas-SP.

Em uma ação decorrente da “Operação Silêncio”, que fechou diversas
rádios em todo o país, um bando de 14 homens, 12 agentes
federais, 2 chaveiros (um para segurar a chave e outro para rodar?),
liderados por um delegado, tomaram de assalto o estúdio a mando da juíza substituta Fernanda Soraia Pacheco Costa. Vandalizaram o estúdio, rasgaram cartazes e confiscaram todos os equipamentos.
Nao havia nenhum mudeiro no momento da ação sórdida.

A Rádio Muda é uma rádio que não é ilegal, nem legal, é uma rádio livre,
pois, assim como inúmeras outras, não possui fins comerciais, não
pratica proselitismo religioso nem político partidário, e atua de
maneira integrada a sua vizinhança, estabelecendo uma relação de
reciprocidade através da qual quem ouve, pode falar, ou seja, todo
ouvinte é um emissor em potencial. Espalhadas pelo Brasil e pelo mundo, essas rádios baseiam-se na legitimidade que suas comunidades e vizinhanças lhe conferem. Atua com baixa potência e atinge apenas uma pequena região da cidade de Campinas. Ao invés da legalidade exigida por leis estatais que legitimam um sistema corrupto e viciado de concessão de radiodifusão, a legitimidade deste tipo de prática deve ser protegida como liberdade de expressão e organização local.

Qual é o papel da radiodifusão hoje?

As rádios comerciais, consideradas legais, integram o território
nacional a partir de interesses comerciais e culturais homogeneizantes. As rádios livres, consideradas ilegais, permitem que a pluralidade cultural seja livremente expressa. Tudo aquilo que não encontra
espaço na lucrativa e monopolizada mídia comercial tem a possibilidade de vazão nos meios geridos pela própria população.
Mundialmente a mídia é controlada por 10 conglomerados. 40 empresas estão ligadas direta ou indiretamente a eles. No Brasil, 90% da mídia é controlada por 13 famílias. Em Campinas, a RAC (Rede Anhanguera de Comunicação) controla os principais meios de comunicação da cidade e região.
Centenas de rádios não comerciais espalhadas pelo Brasil e pelo mundo
atuam no sentido contrário a essa situação de monopólio, reafirmando a capacidade de toda e qualquer pessoa de produzir informação.

Rádio Livre derruba avião?

Um dos principais argumentos contra às rádios livres e de baixa potência é que constituem séria ameaça para tráfego aéreo e a comunicação de emergência. Porém, nunca um acidente aéreo foi causado por este tipo de radiodifusão. Aliás, se fosse fácil assim, com umas mil rádios comunitárias, Sadam teria vencido a invasão de Bush no Iraque…. será que ele não pensou nisso, ou será que esta informação “técnica” não faz o menor sentido?

Piratas?

Piratas são as rádios comerciais que querem o ouro!
Não estamos atrás do lucro.

Livre?

O sistema de leis estatais prevê que a organização e concessão do direito de uso  para as frequências de rádio seja realizado por um grupo de pessoas restrito- técnicos, especialistas, políticos e grupos econômicos.
A comunicação livre não reconhece o governo como única entidade capaz de elaborar leis e regras relativas ao funcionamento dos meios de
comunicação.
Propomos, através da prática, a apropriação e utilização de qualquer meio de comunicação e tecnologia.
Todas as tecnologias são e deveriam ser consideradas bens universais
destinadas ao desenvolvimento humano, sua inteligência, afeto e
comunicação.
O conhecimento não pode ser aprisionado por leis medíocres que se baseiam em interesses mesquinhos de grupos políticos e econômicos ou mesmo de leis que não comportam a capacidade da população de produzir suas próprias informações, a partir de meios de comunicação geridos coletivamente.
Comunicação se realiza diariamente, nos momentos mais cotidianos. Ampliar essa comunicação de uma pessoa ou grupo através de meios tecnológicos é uma possibilidade e prática que amplia a democracia e a capacidade das pessoas de se comunicarem entre si: falando, ouvindo, produzindo e questionando.

A comunicação está em todos nós, muito antes de existirem governos e leis que a regulamentassem: livre, intrínseca, potente e transformadora.

Conclamamos todos e todas a produzirem mais e mais meios de comunicação.

Não precisamos nos submeter ao monopólio!

Nesse carnaval, sintonize-se, atue: ações pela mídia livre espalhadas pelo território.Organize próprias ações!

A Muda não se cala!!! Voltaremos a transmitir em breve!!

Publicações sobre a Invasão da Polícia:

http://midiaindependente.org/
http://www.brasil.agenciapulsar.org/nota.php?id=4205
http://municipe.mandioca.org/archives/246
http://mandioca.wordpress.com/
http://www.agenciapulsar.org/nota.php?id=14500
http://www.npla.de/poonal/aktuell.shtml#BRASILIEN

Enquanto isso, na Inglaterra, acaba de acontecer a terceira conferência sobre interatividade tangível e pervasiva; seguem alguns exemplos do tipo de idéias e aplicativos que estão sendo desenvolvidos:

THIRD INTERNATIONAL CONFERENCE ON TANGIBLE AND EMBEDDED INTERACTION – Cambridge, February 2009

Comics, Robots, Fashion and Programming: outlining the concept of actDresses
Ylva Fernaeus (SICS), Mattias Jacobsson (SICS)

Paints, Paper, and Programs: First Steps Toward the Computational Sketchbook
Leah Buechley (MIT Media Lab), Sue Hendrix (University of Colorado at Boulder),  
Mike Eisenberg (University of Colorado at Boulder)

Shutters: A Permeable Surface for Environmental Control and Communication
Marcelo Coelho (MIT Media Lab,) Pattie Maes (MIT Media Lab)

The Digital Hourglass 
Fabian Hemmert (Deutsche Telekom Laboratories),  Susann Hamann (Potsdam University of Applied Sciences), Reto Wettach (Potsdam University of Applied Sciences)                                          

Living Interfaces: The Impatient Toaster
Eva Burneleit (Potsdam University of Applied Sciences), Fabian Hemmert (Deutsche Telekom Laboratories), Reto Wettach (Potsdam University of Applied Sciences)                                            

Piezing: A Garment Harvesting Energy from the Natural Motion of the Human Body
Amanda Parkes (Tangible Media Group, MIT Media Lab),  Adam Kumpf  (Tangible Media Group, MIT Media Lab), Hiroshi Ishii (Tangible Media Group, MIT Media Lab)

Sad is Heavy and Happy is Light – Population Stereotypes of Tangible Object Attributes 

Jörn Hurtienne (TU Berlin), Christian Stößel, (TU Berlin), Katharina Weber (USEEDS GmbH)

Peripheral Tangible Interaction by Analytic Design
Darren Edge (Microsoft Research Asia), Alan  Blackwell (University of Cambridge)

Physical Manipulation: Evaluating the Potential for Tangible Designs
Andrew Manches (University of Nottingham), Claire O’Malley (University of Nottingham), Steve Benford (University of Nottingham)         

The effect of representation location on interaction in a tangible learning environment
Sara Price (Institute of Education, London), Taciana Pontual Falcão (Institute of Education, London), Jennifer G. Sheridan (Institute of Education, London), George Roussos (Birkbeck College, London)                     

Running up Blueberry Hill: Prototyping Whole Body Interaction in Harmony Space
Simon Holland (The Open University), Paul Marshall (The Open University), Jon Bird (The Open University), Sheep Dalton (The Open University),  Richard Morris (The Open University), Nadia Pantidi (The Open University), Yvonne Rogers          (The Open University), Andy Clark (University of Edinburgh)         

W41K: Digitally Augmenting Traditional Game Environments
Steve Hinske (ETH Zurich), Marc Langheinrich (University of Lugano)

 

CRUMB

20/02/2009

Curatorial Resource for Upstart Media Bliss

Ouro puro (lista de material online do staff do CRUMB).

Confira vídeo-arte de Sarah Cook, do CRUMB:

Carnaval budista

19/02/2009

 

templo_horizontal

Retiro de Carnaval
e Ano Novo Tibetano

De 21 a 25 de fevereiro de 2009

no Templo Odsal Ling

 

O Templo Odsal Ling estará aberto a todos os que quiserem usar o período de Carnaval para meditar. É possível se hospedar no Templo, ou apenas passar o dia. A programação (veja os horários abaixo) inclui períodos de práticas em grupo e individual. Na quarta-feira, dia 25, comemoraremos o início do Ano Novo tibetano, o Losar – este será o ano do Boi da Terra, 2136. É um dia excelente para fazermos as melhores aspirações para nós e para todos os seres. Estaremos reunidos no Templo na quarta-feira, a partir das 5h30, para começar o ano recitando a Soberana das Preces das Aspirações, oferecendo katags e fazendo a prática de Tara Vermelha. 

www.budismotibetano.org.br

nonsense total

16/02/2009

Estudo que acaba de ser divulgado na Grã-Bretanha sobre o nível de malefício das drogas aponta que a maioria das drogas ilegais é menos maléfica do que o álcool e o cigarro. Sem maiores comentários. 

do blog interessantíssimo de andrew curry:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

The picture is from the Royal Society for the Arts Drugs Commission. The chart shows the relationship between evidence of harm of a drug and its UK’s classification, and was developed by David Nutt and Colin Blakemore, the former Chief Executive of the Medical Research Council. I first came across it when working on the scenarios for Foresight’s Brain Science, Addiction and Drugs project, on which Professor Nutt was a lead adviser. The relationship between the science on the harm, and the legal classification, is all but random.The black columns are Class A drugs. Alcohol, by the way, is fifth from the left, tobacco towards the middle, and ecstasy third from the right.