MANIFESTO SOBRE AS MÍDIAS LOCATIVAS

22/04/2009

11. Pense que o único interesse do uso das mídias locativas é produzir
sentido nos lugares. Se isso não acontece, desligue ou crie um uso que
desconstrua o aparelho. Você não precisa ser preciso, você não precisa
estar localizado o tempo todo, você não precisa ser sempre racional,
um homo-economicus total para viver o local! Se os dispositivos
ajudam, use-o, senão, desvie os usos (hacking) e, se não der mesmo
assim, abandone!

12. Ache um equilíbrio entre o clique generalizado no mundo da
informação e a contemplação ociosa. Desconecte e reconecte os seus
dispositivos, sempre, diariamente, permanentemente. Pare, feche os
olhos, abra os ouvidos e desloque-se apenas pelo pensamento, essa
desterritorialização absoluta (Deleuze).

13. A questão da localização nem sempre está ligada ao espaço e ao
movimento, mas ao tempo. Pense assim na duração, na viscosidade das
coisas, na imobilidade, no tempo estendido. Saiba que nunca há “tempo
perdido” e é impossível “matar o tempo”.

14. Independente de qualquer smartphone ou GPS, o que importa é que
você já sabe onde está: “você está aqui” e “agora”.

por André Lemos, em http://andrelemos.info/404nOtF0und/404_71.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: